Um dia ouvi que o caminho do autoconhecimento era libertador.

Sem entender muito bem o que isso significava, mas curiosa que sou, senti vontade de buscar o meu. Confesso que achei que fosse tipo uma prescrição médica sabe? Toma esse remédio por algum tempo e pronto…

SIM!
O caminho do autoconhecimento pode ser transformador e libertador. Me ajuda a transformar a forma de lidar com as minhas dores e dia-a-dia me liberto da dor e do peso de ser quem um dia achei que deveria ser para ser quem eu simplesmente sou.

É um movimento de criar espaço para olhar para você e o mundo com os olhos de criança novamente, de um eterno aprendiz, mas agora integrando também os recursos do adulto que você se tornou.

É um movimento de honrar o seu passado, reconhecer a contribuição de todos na sua caminhada e agora se apropriar de tudo aquilo que hoje está nas suas mãos escolher e agir.

É um movimento de sentir, de aprender a fazer perguntas, de pedir ajuda. Sim, envolve lidar com o inesperado e sentir os desconfortos, querer mudar e ter medo do novo (de mudar!).

É um movimento de aprender a se acolher, se amar, perdoar e a respeitar as pausas. Envolve também descansar.

É um movimento de encontro. De deixar de lado as distrações e de olhar para o que está aqui, dentro.

NÃO…
Não é uma prescrição médica com tempo determinado.

Existem diferentes possibilidades e profissionais para apoiar as pessoas que querem se conhecer mais.

E cada processo caminha no seu tempo e permissão.

Pode ser pontual para o desenvolvimento em uma àrea de incômodo, um novo emprego, para relacionamentos (você com você especialmente) ou uma crise, como também pode ser para a descoberta de uma nova maneira de viver.

Continua um movimento de curiosidade, de conhecer a vida a cada dia mais um pouquinho e ser!

Pode ser apenas um convite, uma experiência ou o caminho de uma vida inteira.